Reforma da Previdência é decisiva para Serraglio assumir Justiça

23 de fevereiro - 15:29

As resistências da bancada do PMDB da Câmara à reforma da Previdência foram decisivas para o presidente Michel Temer escolher o deputado federal Osmar Serraglio (PR) para ministro da Justiça. A nomeação deverá ser feita hoje.

Serraglio foi a terceira opção de Temer. O presidente queria o advogado Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, mas as opiniões dele a respeito da Lava Jato dinamitaram pela segunda vez a tentativa de guindá-lo ao Ministério da Justiça.

Temer, então, seguiu sugestão do senador Aécio Neves (PSDB) para indicar o ex-ministro do STF Carlos Velloso para a função. Convidou. Velloso pensou e recusou.

Sem alternativas fortes no meio jurídico, cresceu o peso do fator político. Desde a última sexta-feira, Temer sinalizava que talvez tivesse de aceitar Serraglio. Nesta semana, explodiram na Câmara e até no PMDB resistências à proposta de reforma da Previdência. Temer cedeu à bancada e optou por um deputado, caminho que ele rejeitava duas semanas antes. Avalia que, assim, acalma a bancada do PMDB.

Em relação ao Ministério das Relações Exteriores, o presidente gostaria de indicar um diplomata, como Marcos Galvão, secretário-geral da pasta. Mas como o Itamaraty estava sob o comando de um tucano, levará em conta se precisará manter essa pasta na cota do PSDB. Para a política externa, seria melhor escolher um diplomata.

Escrito por: Kennedy Alencar

Matérias Relacionadas

Sem relacionamento.



Deixe seu comentário aqui